Em 14 de maio de 1988, um ônibus escolar, com estudantes, pais e professores a bordo, viajava pela Interestadual 71 em direção a um parque temático em Cincinnati, Ohio. Perto da cidade de Carrollton, Kentucky, o ônibus colidiu com um caminhão-tanque que transportava 40 mil libras (18 toneladas) de gás butano. A colisão causou uma explosão violenta que incendiou os dois veículos. O ônibus de Carrollton rapidamente se transformou em uma bola de fogo, e a maioria das vítimas morreu carbonizada ou sufocada pela fumaça tóxica.

O acidente de Carrollton foi um dos piores desastres de trânsito na história americana. O número de mortes superou o do desastre de avião da American Airlines em Chicago, que havia ocorrido apenas seis meses antes e matado 271 pessoas. A tragédia de Carrollton também foi a primeira vez que o país testemunhou a morte de tantas crianças em um único acidente.

Após a tragédia, os investigadores descobriram que o motorista do ônibus de Carrollton havia bebido álcool antes de dirigir o veículo. O condutor, cujo nome era Larry Mahoney, tinha consumido seis cervejas e dois drinques de uísque antes de partir. Ele foi condenado por homicídio culposo e recebeu uma sentença de 16 anos de prisão. Mahoney afirmou que não se lembrava de ter causado o acidente.

O acidente de Carrollton trouxe à tona problemas importantes relacionados à segurança no transporte. Na época, o uso de assentos de segurança em ônibus escolares não era obrigatório na maioria dos estados americanos. O acidente também mostrou como o consumo de álcool pode afetar a capacidade de um motorista de operar um veículo e de tomar decisões importantes. Depois do acidente, a legislação de direção alcoolizada foi fortalecida em todo o país, e muitos estados introduziram leis que exigem o uso de cintos de segurança em ônibus escolares.

No entanto, apesar do impacto positivo das leis sobre segurança no transporte, a tragédia de Carrollton ainda é lembrada como um evento traumático que assombrou a nação. Mais de 30 anos depois, a dor e a perda experimentadas pelas famílias das vítimas ainda permanecem. O acidente de Carrollton é uma lembrança constante de que a segurança no transporte é essencial para proteger a vida das pessoas.

Em conclusão, o acidente do ônibus de Carrollton permanece como um evento triste e comovente da história americana. A morte de 27 pessoas, a maioria crianças, foi um choque para o país e destacou a importância da segurança no transporte. Embora as leis tenham sido fortalecidas após o acidente, a tragédia de Carrollton serve como um lembrete de que a condução imprudente de veículos ainda é um risco real e que medidas de segurança mais rigorosas são necessárias para evitar mais perdas de vidas no futuro.